Tich, Tich, BOOM! Ácido Tranexâmico em Hemorragia Intracraniana

Share

TXA. Para que é bom? Absolutamente tudo. Esta parece ser a hipótese alternativa para o estudo TICH-21, publicado na semana passada no Lancet. Nos bastidores de evidências recentes sugerindo que o ácido tranexâmico IV (TXA) precocemente pode melhorar o resultado em trauma2, hemorragia pós-parto3, possivelmente lesão cerebral traumática4 e talvez epistaxe5, os investigadores aqui decidiram avaliar o uso de TXA na hemorragia intracerebral primária. Isto é FOAMed da mais alta ordem – o papel é de um periódico de alto…

0
Read More

FLUIDOS IV NÃO CAUSAM EDEMA CEREBRAL EM PACIENTES PEDIÁTRICOS COM CETOACIDOSE DIABÉTICA

Share

A taxa de fluidos IV ou tonicidade contribuem para a taxa de edema cerebral na cetoacidose diabética em crianças? Algumas crianças com cetoacidose diabética evoluem com edema cerebral e tem péssimas sequelas neurológicas. Infelizmente, quando isso ocorre, frequentemente se aponta o dedo para o médico emergencista devido ao nosso zelo exacerbado com o uso de fluidos intravenosos. Crianças não são adultos em miniatura, sempre escutamos, e não toleram os mesmos volumes de fluidos. Ou talvez, seja o uso de soluções…

0
Read More

Segredos do ofício: inalação de alcool isopropílico vaporizado para náusea e vômito

Share

SEGREDOS DO OFÍCIO: INALAÇÃO DE ALCOOL ISOPROPÍLICO VAPORIZADO PARA NÁUSEA E VÔMITO As enfermeiras da triagem reclamam que vários pacientes na sala de espera estão reclamando de náusea e êmese. Perguntam a você “Por que não podemos ter um antiemético à disposição na triagem?” Acontece que elas podem ter um bom antiemético à mão, ou ainda no bolso do pijama do plantão o tempo todo. Apenas não sabiam disso ainda. O que se sabe sobre o vômito Náuseas e vômitos…

0
Read More

Proclorperazina, Metoclopramida e Difenidramina para Cefaleia Migranosa Aguda

Share

A Sociedade Americana de Cefaleia de 2016 lançou recomendações sobre o manejo de adultos com cefaleia migranosa aguda.1 Em Novembro de 2017, no episódio que gravei para o podcast EM:RAP LIN Sessions, Medicina de Emergência: Revisões e Perspectivas, percebi que generalizei diversas afirmações sobre agentes antidopaminérgicos e o uso concomitante de difenidramina para redução de risco de acatisia. Então, eu quis esclarecer alguns pontos e compartilhar uma visão aprofundada sobre o tópico, graças ao feedback construtivo e ajuda do experiente…

0
Read More

Pérolas em emergência pediátrica: bloqueio regional de nervo facial

Share

Bloqueios regionais de nervos da face e orelha podem ser uma ótima opção analgésica na criança, particularmente para feridas que precisam de reparo. Os benefícios incluem número reduzido de injeções locais, melhores resultados estéticos devido à menor distorção da margem da ferida, e melhora da analgesia dentro da região do nervo.1,2 O post do blog a seguir e o tutorial em vídeo revisam os elementos-chave dessa técnica. Bloqueio de Nervo Facial: Técnica Nós recomendamos uso de Lidocaína 1% ou Bupivacaína…

0
Read More

DE CABEÇA PARA BAIXO VOCÊ ME TIRA DA TSV?

Share

Caso: Uma menina de 7 anos chega ao seu departamento de emergência com queixa de palpitações. Ao exame ela aparenta estar ansiosa e implora que você não dê “aquele remédio que faz meu coração parar, como o último médico fez”. Você sabe que manobras vagais são a primeira linha de ação, mas há variação de técnicas. Como a paciente já havia tentado expirar fechando o nariz com os dedos, você se pergunta se não haveria outro método seguro para se…

0
Read More

Herniação Cerebral – ICH e ICH

Share

Herniação cerebral é uma sequela catastrófica do aumento da pressão intracraniana (PIC) ou efeito de massa de lesões intracranianas. Podem ocorrer diferentes tipos de herniação dependendo da localização do efeito de massa e de quão rápido esse efeito se desenvolve1. Qualquer lesão, incluindo hemorragia, tumor, edema vasogênico ou citotóxico, trauma ou infecção, pode causar herniação. No entanto, hemorragia intracerebral espontânea e traumatismo cranioencefálico (TCE) são causas comuns de herniação no contexto agudo, frequentemente associando trauma e hemorragia. Existem duas síndromes…

0
Read More

INGESTÃO DE PILHAS BOTÃO (“PILHA DE RELÓGIO”)

Share

Pilhas Botão: pequenas e em forma de disco, são pilhas que são projetadas para uso em pequenos aparelhos eletrônicos. Fontes comuns são brinquedos de criança, relógios, calculadoras e próteses de aparelho auditivo. A maioria das pilhas usam lítio como fonte energética. Perigo da Ingestão das Pilhas Botão Contato com superfície mucosa (orofaringe, esôfago, cavidade nasal) resulta em transmissão de corrente Transmissão de corrente causa queimaduras químicas e necrose via injúria alcalina (hidróxido de sódio) Lesão tecidual pode progredir rapidamente e…

0
Read More

Lesões do ligamento colateral medial (LCM)

Share

Definição: estiramento ou rompimento do ligamento colateral medial (LCM). Epidemiologia: Lesões ligamentosas têm sido citadas e contabilizadas como aproximadamente 40% das lesões de joelho (Bolen 2000). O LCM é o ligamento mais comumente lesionado, contando aproximadamente 8% de todas as lesões do joelho (Majewski 2006) Mulheres são mais acometidas do que homens (Sweson 2013); Vista Anterior do Joelho (www.howardluskmd.com) Mecanismo: Pancadas diretas são o mecanismo mais comum e tipicamente causam as injúrias mais severas (Singhal 2010). Mecanismos indiretos são menos…

0
Read More

Lesões da coluna cervical em pediatria

Share

Um menino de 14 anos de idade apresenta-se ao departamento de emergência, trazido por carro particular, com dor no pescoço após errar um “salto mortal” enquanto brincava no trampolim da família em sua casa. Você é abordado pelo enfermeiro da triagem para “testar e liberar seu pescoço”, pois assim ele poderia evitar o uso desnecessário de um colar cervical e de uma maca. Você, então, vai ver o paciente… Ele relata ter tentado um salto mortal, porém, parou no meio…

0
Read More