EM Core (PORT)

Ultrassom à Beira do Leito Durante Parada Cardiorrespiratória

Share

Parada Cardiorrespiratória (PCR) é um evento comum e afeta mais de 300,.000 americanos todos os anos, apresentando um prognóstico sombrio, com uma taxa de sobrevivência variando entre 7 a 9%. Atualmente, não há evidências ou guidelines que auxiliem os médicos a decidirem o momento de interromper a reanimação quando o paciente não obtém o retorno espontâneo da circulação. Ultrassons portáteis são úteis em outros pacientes críticos, assim como no trauma e no choque indiferenciado. Ecocardiograma na beira do leito está facilmente disponível e pode ser utilizado durante a reanimação cardiopulonar (RCP), a fim de ter uma informação rápida sobre a atividade cardíaca, bem como apontar possíveis etiologias. Essa é a primeira revisão sistemática a observar as evidências para o uso de ultrassom (US) na beira do leito para o manejo da parada cardíaca.

Resumos de Emergência

Gasometria Arterial vs Gasometria Venosa

Share

RESUMO

  • Gasometria de sangue venoso (GSV) é amplamente utilizada em preferência à gasometria de sangue arterial (GSA) em situações de emergência, de acordo com os resultados de pesquisas publicadas desde 2001.
  • O peso dos dados sugerem que o pH venoso apresenta correlação com o pH arterial e, por isso, é uma alternativa aceitável na prática clínica para a maioria dos pacientes.
  • Entretanto, alguns especialistas não aprovam esse uso e essa estratégia talvez seja inadequada em alguns cenários; por exemplo, não há dados que confirmem que o nível de concordância se mantém nos estados de choque ou distúrbios ácidos-base.
  • Níveis clinicamente aceitáveis de correlação para os parâmetros de gasometria sanguínea continuam insuficientes.

Resumos de Emergência

TRAUMA #01: OS 10 MANDAMENTOS (Pt. 1)

Share

Original em REBEL EM

“Já estou nesse jogo há anos. Ele me tornou um animal. Existem tantas regras pra essa m**da, que eu escrevi um manual.” – Notorious BIG

Sabe? Quer você esteja tentando vender drogas ou não, existem algumas sábias palavras nos 10 Mandamentos do Crack feitos pelo falecido Notorious BIG. Pérolas como “Nunca deixem eles saberem seu próximo movimento” e “nunca carregue nada com você” me ajudaram durante algumas decisões desafiadoras durante a vida.

Not Big

  1. Nunca deixe eles saberem quanto dinheiro você tem
  2. Nunca deixe eles saberem seu próximo movimento
  3. Nunca confie em ninguém
  4. Nunca fique chapado com seu próprio suprimento
  5. Nunca venda droga onde você descansa
  6. Esqueça crédito e fiado
  7. Deixe família e negócios completamente separados
  8. Nunca carregue nada com você
  9. Se você não está vendendo drogas, fique longe da polícia
  10. Uma palavra forte chamada consignação: nunca aceite se você não tem clientes

Embora nada tenha mudado muito no mundo crime, quando falamos de reanimação no trauma, o jogo mudou*. Era mais fácil nos velhos tempos: 2 litros de cristaloide para um paciente hipotenso, e, depois sangue. Mesmo que a ciência por trás da reanimação no trauma tenha nos ajudado a entender o quão falho esse paradigma é, a nova escola ainda possui caminhos difíceis de serem navegados. De controle do dano a fibrinogênio, de ácido tranexâmico a tromboelastometria; não existem dúvidas que a jornada de reanimação do paciente sangrando por trauma possui mais nuances do que originalmente pensamos.

Então, inspirados pelo discurso Descartesiano do método de Biggie, lhes apresento as 10 regras contemporâneas da reanimação no trauma como eu as vejo – suportadas pela ciência e, ocasionalmente, com comentários pessoais.

Resumos de Emergência #07: Escores de Risco para Pancreatite

Share

Hoje estamos trazendo um post do excelente blog CanadiEM sobre estratificação de risco e prognóstico em casos de pancreatite aguda.

Pancreas

ECG: ONDE ERRAMOS E COMO MELHORAR?

Share

Eletrocardiogramas (ECGs) são um dos exames complementares mais comuns na Emergência. Médicos Emergencistas irão ler milhares de ECGs ao longo de suas carreiras e devem ser especialistas no assunto para poderem interpretá-los rapidamente. Por esse motivo, estamos traduzindo esse texto do emDocs sobre os principais erros na hora de interpretar um ECG.

ECG Drawing

RESUMOS DE EMERGÊNCIA #06: COLANGITE

Share

Caso Clínico 01

Mulher de 54 anos é admitida na emergência com queixa de dor no quadrante superior direito (QSD) do abdome. Dois meses antes, ela havia comparecido na emergência com sintomas similares e foi diagnosticada com colelitíase. A paciente recebeu alta com remédios para dor e recomendação de acompanhamento cirúrgico. No entanto, os sintomas voltaram e estão mais graves na visita atual. Ela está vomitando, com uma febre de 39,2 °C e taquicárdica, com 131 bpm. Um ultrassom à beira do leito no QSD do abdome revelou cálculos biliares, mas sem espessamento de parede, barro biliar, ou líquido pericolecístico. Ela foi diagnosticada mais uma vez com colelitíase. Felizmente, o cirurgião de plantão concorda em internar a paciente e realizar uma colecistectomia na manhã seguinte. Após a reavaliação da paciente, entretanto, algo parece errado. Apesar de medicamentos e fluidos intravenosos, ela não parece estar bem e permanece febril e taquicárdica. O que está sendo deixado de lado no caso desta paciente criticamente doente?

OS PRIMEIROS 10 MINUTOS #01: O PACIENTE INCONSCIENTE

Share

Estamos publicando um excelente texto do First10EM sobre a abordagem do paciente inconsciente na sala de Emergência.

http://first10em.com/

CASO CLÍNICO

Você é chamado para avaliar um homem de 55 anos que está sendo deixado pelo SAMU na sala de reanimação. Eles foram chamados após a família do paciente o encontrar inconsciente em casa. O Glasgow Coma Scale na chegada é 3…

RESUMOS DE EMERGÊNCIA #05: NEUTROPENIA FEBRIL

Share

Resumos de Emergência

Hospitais de referência, como nossos hospitais universitários, recebem muitos pacientes com câncer em suas Emergências. Tratamentos com quimioterapia causam neutropenia em 10-50% dos pacientes com tumores sólidos e em mais de 80% dos pacientes com neoplasias hematológicas durante o ciclo de tratamento.

Por isso, apresentamos esse post do Academic Life in Emergency Medicine com um resumo das Diretrizes da Infectious Disease Society of America (IDSA) para o atendimento de neutropenia febril em pacientes com câncer.

RESUMOS DE EMERGÊNCIA #04: AS REGRAS DE OTTAWA

Share

Está em duvida se deve pedir uma radiografia para aquele paciente que torceu o pé jogando futebol? Veja as Regras de Ottawa nesse post traduzido do Academic Life in Emergency Medicine! Esses critérios devem ser aplicados em pacientes que tiveram trauma nos joelhos, nos tornozelos ou nos pés e serve para avaliar a necessidade de radiografia desses locais. Caso o paciente não preencha nenhum dos critérios adotados a hipótese diagnóstica de fratura óssea pode ser excluida. Portanto, não há necessidade de solicitar uma radiografia e o paciente pode ser liberado mais rapidamente.

Resumos de Emergência

REANIMAÇÃO PALIATIVA: MANEJO DE DISPNEIA

Share

Pacientes terminais são uma população comum na Emergência, principalmente nos grandes hospitais universitários. Esses pacientes trazem diversos desafios para o Emergencista, visto que nesses casos o objetivo final do atendimento muda para o alívio imediato de sintomas graves que os pacientes apresentam. Por isso, traduzimos esse post do First10EM feito por Justin Morgenstern, MD, Emergencista de Toronto, Canadá.