Resumos de Emergência

Resumos de Emergência #07: Escores de Risco para Pancreatite

Share

Hoje estamos trazendo um post do excelente blog CanadiEM sobre estratificação de risco e prognóstico em casos de pancreatite aguda.

Pancreas

RESUMOS DE EMERGÊNCIA #06: COLANGITE

Share

Caso Clínico 01

Mulher de 54 anos é admitida na emergência com queixa de dor no quadrante superior direito (QSD) do abdome. Dois meses antes, ela havia comparecido na emergência com sintomas similares e foi diagnosticada com colelitíase. A paciente recebeu alta com remédios para dor e recomendação de acompanhamento cirúrgico. No entanto, os sintomas voltaram e estão mais graves na visita atual. Ela está vomitando, com uma febre de 39,2 °C e taquicárdica, com 131 bpm. Um ultrassom à beira do leito no QSD do abdome revelou cálculos biliares, mas sem espessamento de parede, barro biliar, ou líquido pericolecístico. Ela foi diagnosticada mais uma vez com colelitíase. Felizmente, o cirurgião de plantão concorda em internar a paciente e realizar uma colecistectomia na manhã seguinte. Após a reavaliação da paciente, entretanto, algo parece errado. Apesar de medicamentos e fluidos intravenosos, ela não parece estar bem e permanece febril e taquicárdica. O que está sendo deixado de lado no caso desta paciente criticamente doente?

RESUMOS DE EMERGÊNCIA #05: NEUTROPENIA FEBRIL

Share

Resumos de Emergência

Hospitais de referência, como nossos hospitais universitários, recebem muitos pacientes com câncer em suas Emergências. Tratamentos com quimioterapia causam neutropenia em 10-50% dos pacientes com tumores sólidos e em mais de 80% dos pacientes com neoplasias hematológicas durante o ciclo de tratamento.

Por isso, apresentamos esse post do Academic Life in Emergency Medicine com um resumo das Diretrizes da Infectious Disease Society of America (IDSA) para o atendimento de neutropenia febril em pacientes com câncer.

RESUMOS DE EMERGÊNCIA #04: AS REGRAS DE OTTAWA

Share

Está em duvida se deve pedir uma radiografia para aquele paciente que torceu o pé jogando futebol? Veja as Regras de Ottawa nesse post traduzido do Academic Life in Emergency Medicine! Esses critérios devem ser aplicados em pacientes que tiveram trauma nos joelhos, nos tornozelos ou nos pés e serve para avaliar a necessidade de radiografia desses locais. Caso o paciente não preencha nenhum dos critérios adotados a hipótese diagnóstica de fratura óssea pode ser excluida. Portanto, não há necessidade de solicitar uma radiografia e o paciente pode ser liberado mais rapidamente.

Resumos de Emergência

REANIMAÇÃO PALIATIVA: MANEJO DE DISPNEIA

Share

Pacientes terminais são uma população comum na Emergência, principalmente nos grandes hospitais universitários. Esses pacientes trazem diversos desafios para o Emergencista, visto que nesses casos o objetivo final do atendimento muda para o alívio imediato de sintomas graves que os pacientes apresentam. Por isso, traduzimos esse post do First10EM feito por Justin Morgenstern, MD, Emergencista de Toronto, Canadá.

RESUMOS DE EMERGÊNCIA #04: RASH PEDIÁTRICO

Share

Queixas dermatológicas não são fáceis, queixas dermatológicas em crianças são mais difíceis ainda. Por isso, traduzimos este post do Ped EM Morsels feito por Sean M. Fox, MD, Emergencista Pediátrico e professor de Medicina de Emergência no Carolinas Medical Center, na Carolina do Norte, EUA.

Sempre Olhe As Mucosas!

RESUMOS DE EMERGÊNCIA #03: ANAFILAXIA – DIAGNÓSTICO E MANEJO

Share

Anafilaxia é uma das condições mais subdiagnosticadas e subtratadas na emergência. Uma percepção comum é que hipotensão é necessária para o seu diagnóstico, porém isso não é verdade. Abaixo está um resumo do Academic Life in Emergency Medicine sobre critérios diagnósticos e um protocolo de atendimento na emergência. Administração imediata de adrenalina IM é essencial. 

RESUMOS DE EMERGÊNCIA #02: FRATURAS EXPOSTAS – DICAS E ARMADILHAS

Share

Resumos de Emergência

RESUMOS DE EMERGÊNCIA #01: MEDICAÇÕES PARA O MANEJO INICIAL DE DOR

Share

O departamento de Emergência lida com dor diariamente, variando de dor lombar não-traumática a fraturas por trauma. Escolher droga e dose corretas é de extrema importância para o manejo desses pacientes. Hoje estamos publicando a tradução de um post do Academic Life in Emergency Medicine feito por Dr. Nick Koch e Dr. Sergey Motov (@PainFreeED) do Maimonides Medical Center em Nova York.  Eles nos apresentam um resumo baseado em evidências sobre a seleção e dosagem de medicações para o manejo inicial de dor em pacientes na emergência.