Português

Avaliação Básica das Vias Aéreas: é tão fácil quanto…1-2-3?

Share

Em Medical Concepts por Rob Woods, 04 de Agosto, 2014 Na escola de medicina, muitas das questões de múltipla escolha no contexto de um paciente agudo têm como uma opção “administrar os ABC’s” e esta é sempre a alternativa correta. Infelizmente, dizer “eu administraria os ABCs como minha primeira prioridade” é muito diferente de realmente saber como avaliar uma via aérea, quanto mais gerenciar anormalidades durante uma ressuscitação no trauma. Se você pensa que isso vai ser uma postagem de blog de vias…

0
Read More

[Portugese Translation] Segredos do Ofício: Uso tópico de Lidocaína em gel ajuda na redução de lacerações e escoriações

Share

Por: Kara Bragg DNP, APRN, FNP-C, ENP-BC e Hannah Fox, MD Post original: https://www.aliem.com/trick-of-trade-topical-lidocaine-jelly-skin-tears-road-rash/ As lacerações da pele, tipo skin tears, são lesões comuns tratadas em idosos no PS. Muitas vezes, a pele é fina como papel e a área envolvida pode ter retalhos grandes. Quando o paciente chega, o sangue pode estar seco com uma borda cutânea retraída e enrolada. Geralmente, a área da superfície é muito grande e a pele fica fina para injetar anestesia local em toda…

0
Read More

Trombolíticos no acidente vascular cerebral, segunda atualização: o estudo EXTEND

Share

Original by Justin Morgenstern|Published January 28, 2020-Updated January 19, 2020| Desde o meu longo post sobre a literatura a respeito do AVC, foram publicados novos estudos controlados randomizados (ECRs) que analisaram trombolíticos para o AVC isquêmico agudo. Não, não temos a replicação do estudo NINDS de que tanto precisamos. No entanto, os novos estudos representam um passo à frente no que pensamos sobre o AVC: eles usam exames de imagens para selecionar um grupo de pacientes com maior probabilidade de…

0
Read More

Primeiro, não cause danos: repensando nossa abordagem à intubação no trauma

Share

Escrito por Zaf Qasim O gerenciamento das vias aéreas como a primeira prioridade tem sido a espinha dorsal da ressuscitação há anos. “Aborde A primeiro, antes de passar para B e C”, é o que aprendemos e o que ensinamos a sucessivas gerações de alunos. Para equipes clínicas adequadamente treinadas, tanto intra ou pré-hospitalares, a conclusão de “A” pode muito bem significar realizar uma intubação em sequência rápida (ISR). Desde o seu início, na década de 1970, houve uma evolução…

0
Read More

Revisão para o Board: Emergências de Verão

Share

Questão: Homem, 20 anos, se apresenta ao departamento de emergência com queixas de mal-estar, náuseas e escurecimento da urina após ter iniciado prática de cross fit nos últimos 5 dias. Sinais vitais: T: 36,6°C  FC: 120bpm  PA: 110x70mmHg  FR: 20ipm StO2: 98% em ar ambiente. O paciente aparenta estar cansado e com dor muscular difusa, mas com compartimentos moles. Além disso, apresenta urinálise com presença de hemácias 2+. Qual o próximo exame mais importante para auxiliar no tratamento imediato desse…

0
Read More

Protocolo START para Triagem de Múltiplas Vítimas

Share

Tradução: Thiago Mont Revisão: Mateus Araújo Dica rápida: Protocolo START para triagem (RPM – 30/2/obedece ordens) Se você é como eu, você aprecia o valor dos sistemas de triagem na medicina de emergência e no cuidado pré-hospitalar, mas acha difícil lembrar os componentes de cada um. O protocolo de triagem START (Simple Triage And Rapid Treatment, isto é, triagem simples e tratamento rápido) foi pensado para rápida avaliação em incidentes com múltiplas vítimas, categorizando-as em quatro categorias de cores que…

0
Read More
Archived posts
Active Collaborators