Tag Archives: #foamed

#FOAMed PROJECT BRASIL: EM PEARLS #01 – FRATURA OCULTA DE QUADRIL

Share

Paciente feminina, 75 anos, escorregou e caiu no gelo enquanto caminhava em direção a seu carro. A queda foi sobre o lado esquerdo do corpo. Após a queda, a paciente não conseguia deambular e reclamava de dor no quadril esquerdo. Ao exame, apresentava dor à palpação no quadril esquerdo sem deformidade óbvia. Radiografia de quadril e pelve foram negativas para fraturas. Entretanto, a paciente continua apresentando dificuldade para deambular na Emergência.

E AGORA?

  1. Internar para observação e tratamento da dor
  2. Pedir densitometria óssea
  3. Pedir TC de quadril
  4. Pedir RM de quadril
  5. Dizer à paciente para aguentar a dor e mandá-la para casa!

Qual é a procupação com essa paciente?

#FOAMed Project en Español- EM News #01: El Techo Analgésico del Ketorolaco

Share

Ketorolac

Línea de fondo: El Ketorolaco es un analgésico parenteral de uso común en el Departamento de Urgencia, indicado para una variedad de usos que van desde lesiones musculoesqueléticas hasta cólicos renales. Este fármaco antiinflamatorio no esteroideo (AINE) está disponible por vía oral, intranasal y parenteral. El Ketorolaco tiene una serie de efectos secundarios incluyendo náuseas, vómitos, sangrado gastrointestinal e insuficiencia renal. El riesgo de sangrado gastrointestinal parece estar relacionado con el uso de dosis más altas y con el uso prolongado. Al igual que con todos los AINE, el fármaco tiene un techo analgésico  (la dosis a la cual la dosificación adicional no proporcionará analgesia adicional, pero puede conducir a más efectos secundarios). La dosis actual de la FDA es de 30 mg intravenosa y 60 mg intramuscularmente para los pacientes <65 años de edad. Sin embargo, la necesidad de estas dosis no está clara y estudios previos han demostrado eficacia de dosis considerablemente más bajas. El uso de dosis más bajas, si son efectivas, puede mitigar el potencial de daño.

Artículo: Motov S et al. Comparison of intravenous ketorolac at three single-dose regimens for treating acute pain in the emergency department: a randomized controlled trial. Ann Emerg Med 2016. PMID: 27993418

#FOAMed Project Brasil – EM NEWS #01: Teto Analgésico do Cetorolaco

Share

Ketorolac

Introdução: Cetorolaco (Toragesic®, Toradol®) é um analgésico comumente utilizado na Emergência com diversas indicações, variando de lesões musculoesqueléticas a cólicas renais. Este anti-inflamatório não-esteroide (AINE) está disponível por via oral, sublingual, intranasal e parenteral. Cetorolaco tem uma série de efeitos colaterais, incluindo náuseas, vômitos, hemorragia digestiva e insuficiência renal. O risco de hemorragia gastrointestinal parece estar mais relacionado com o uso de doses mais elevadas e com o uso prolongado. Como todos os AINEs, a droga tem um limite de poder analgésico – o aumento da dose não proporciona um efeito maior, mas pode causar mais efeitos colaterais. A dose atual determinada pela FDA é de 30 mg IV e de 60 mg IM para pacientes < 65 anos de idade. No entanto, a necessidade destas doses não é clara e estudos prévios demonstraram eficácia de doses consideravelmente mais baixas. A utilização de doses menores, se for eficaz, pode atenuar o potencial de efeitos adversos.

Motov S et al. Comparison of intravenous Cetorolaco at three single-dose regimens for treating acute pain in the emergency department: a randomized controlled trial. Ann Emerg Med 2016. PMID: 27993418

CONHEÇA A #FOAMed!

Share
Autor: Henrique Puls

Na última semana, ocorreu o I Simpósio de Emergências Clínicas e Traumáticas da Liga de Trauma e Emergência da UFRGS e a ISAEM esteve presente para falar sobre a iniciativa de Free Open Access Medical Education. Para que você também fique sabendo tudo sobre o assunto, estamos publicando um resumo com tudo o que foi apresentado!

Free Open Access Medical Education (FOAM)

O conceito emergiu espontaneamente da coleção gratuita de recursos de educação médica que evolui constantemente na internet e, em tradução livre, significa Educação Médica com Acesso Livre e Gratuito. Há apenas um objetivo – fazer do mundo um lugar melhor. FOAM independe de mídia ou de plataformas – inclui blogs, podcasts, Tweets, Hangouts, vídeos online, textos, fotografias, grupos no Facebook e muito mais.

As duas principais características de FOAM são velocidade e acessibilidade. A velocidade relacionada à FOAM diz respeito à rapidez com que o conhecimento científico é levado do meio acadêmico para as discussões médicas da prática diária. Já a acessibilidade vem do fato de esses recursos estarem sempre disponíveis de forma gratuita na Internet.

“Se você quer saber como praticávamos medicina há 5 anos, leia um livro-texto.

Se você quer saber como praticávamos medicina há 2 anos, leia uma revista científica.

Se você quer saber como praticávamos medicina há 1 ano, vá a um (bom) congresso.

Se você quer saber como vamos praticar medicina no futuro, escute nos corredores e use FOAM.”

Joe Lex, na “International EM Education Efforts & E-Learning – 2012”

FOAM

FOAM: Educação Médica com Acesso Livre, para qualquer um, em qualquer lugar, a qualquer momento.

RETROSPECTIVA: PRÁTICAS QUE MUDARAM EM 2015

Share

Cochilou em 2015? Não se preocupe! O pessoal do FOAMcast pegou as mentes de emergencistas brilhantes e nos deu essa pequena lista com os acontecimentos importantes do ano que passou.

Quer saber mais sobre FOAM? Acesse aqui!

PESQUISA DE EMERGÊNCIA #01: O MELHOR DE 2015

Share

Seja bem-vindo ao primeiro Pesquisa de Emergência. Nesta seção iremos traduzir os posts da série Research and Reviews in the Fast Lane do blog Australiano Life in the Fast Lane.

Esta série será estruturada como um recurso semanal gratuito que permite saber quais publicações recentes valem a leitura de acordo com a opinião de renomados Emergencistas e Intensivistas de diversas partes do globo. Contribuidores selecionam artigos que foram descobertos (ou recuperados) na última semana e que eles pensam que você deveria ler. Uma publicação é recomendada quando o estudo pode mudar a prática clínica, responde à uma pergunta clínica importante, explica algum assunto complicado ou simplesmente porque é uma grande leitura.

A primeira edição conta com um apanhado das 12 melhores publicações de 2015.